Salmo 10

1 Senhor, por que estás tão longe? Por que te escondes em tempos de angústia?

2 Em sua arrogância o ímpio persegue o pobre, que é apanhado em suas tramas.

3 Ele se gaba de sua própria cobiça e, em sua ganância, amaldiçoa e insulta o Senhor.

4 Em sua presunção o ímpio não o busca; não há lugar para Deus em nenhum dos seus planos.

5 Os seus caminhos prosperam sempre; tão acima da sua compreensão estão as tuas leis que ele faz pouco caso de todos os seus adversários,

6 pensando consigo mesmo: “Nada me abalará! Desgraça alguma me atingirá, nem a mim nem aos meus descendentes”.

7 Sua boca está cheia de maldições, mentiras e ameaças; violência e maldade estão em sua língua.

8 Fica à espreita perto dos povoados; em emboscadas mata os inocentes, procurando às escondidas as suas vítimas.

9 Fica à espreita como o leão escondido; fica à espreita para apanhar o necessitado; apanha o necessitado e o arrasta para a sua rede.

10 Agachado, fica de tocaia; as suas vítimas caem em seu poder.

11 Pensa consigo mesmo: “Deus se esqueceu; escondeu o rosto e nunca verá isto”.

12 Levanta-te, Senhor! Ergue a tua mão, ó Deus! Não te esqueças dos necessitados.

13 Por que o ímpio insulta a Deus, dizendo no seu íntimo: “De nada me pedirás contas! “?

14 Mas tu enxergas o sofrimento e a dor; observa-os para tomá-los em tuas mãos. A vítima deles entrega-se a ti; tu és o protetor do órfão.

15 Quebra o braço do ímpio e do perverso, pede contas de sua impiedade até que dela nada mais se ache.

16 O Senhor é rei para todo o sempre; da sua terra desapareceram os outros povos.

17 Tu, Senhor, ouves a súplica dos necessitados; tu os reanimas e atendes ao seu clamor.

18 Defendes o órfão e o oprimido, a fim de que o homem, que é pó, já não cause terror.

Salmos 10:1-18

Salmo 9

1 Senhor, quero dar-te graças de todo o coração e falar de todas as tuas maravilhas.

2 Em ti quero alegrar-me e exultar, e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo.

3 Quando os meus inimigos contigo se defrontam, tropeçam e são destruídos.

4 Pois defendeste o meu direito e a minha causa; em teu trono te assentaste, julgando com justiça.

5 Repreendeste as nações e destruíste os ímpios; para todo o sempre apagaste o nome deles.

6 O inimigo foi totalmente arrasado, para sempre; desarraigaste as suas cidades; já não há quem delas se lembre.

7 O Senhor reina para sempre; estabeleceu o seu trono para julgar.

8 Ele mesmo julga o mundo com justiça; governa os povos com retidão.

9 O Senhor é refúgio para os oprimidos, uma torre segura na hora da adversidade.

10 Os que conhecem o teu nome confiam em ti, pois tu, Senhor, jamais abandonas os que te buscam.

11 Cantem louvores ao Senhor, que reina em Sião; proclamem entre as nações os seus feitos.

12 Aquele que pede contas do sangue derramado não esquece; ele não ignora o clamor dos oprimidos.

13 Misericórdia, Senhor! Vê o sofrimento que me causam os que me odeiam. Salva-me das portas da morte,

14 para que, junto às portas da cidade de Sião, eu cante louvores a ti e ali exulte em tua salvação.

15 Caíram as nações na cova que abriram; os seus pés ficaram presos no laço que esconderam.

16 O Senhor é conhecido pela justiça que executa; os ímpios caem em suas próprias armadilhas. Interlúdio.

17 Voltem os ímpios ao pó, todas as nações que se esquecem de Deus!

18 Mas os pobres nunca serão esquecidos, nem se frustrará a esperança dos necessitados.

19 Levanta-te, Senhor! Não permitas que o mortal triunfe! Julgadas sejam as nações na tua presença.

20 Infunde-lhes terror, Senhor; saibam as nações que não passam de seres humanos

Salmos 9:1-20

Salmo 8

1 Senhor, Senhor nosso, como é majestoso o teu nome em toda a terra! Tu, cuja glória é cantada nos céus.

2 Dos lábios das crianças e dos recém-nascidos firmaste o teu nome como fortaleza, por causa dos teus adversários, para silenciar o inimigo que busca vingança.

3 Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que ali firmaste,

4 pergunto: Que é o homem, para que com ele te importes? E o filho do homem, para que com ele te preocupes?

5 Tu o fizeste um pouco menor do que os seres celestiais e o coroaste de glória e de honra.

6 Tu o fizeste dominar sobre as obras das tuas mãos; sob os seus pés tudo puseste:

7 Todos os rebanhos e manadas, e até os animais selvagens,

8 as aves do céu, os peixes do mar e tudo o que percorre as veredas dos mares.

9 Senhor, Senhor nosso, como é majestoso o teu nome em toda a terra!

Salmos 8:1-9

Salmo 7

1 Senhor meu Deus, em ti me refugio; salva-me e livra-me de todos os que me perseguem.

2 Para que, como leões, não me dilacerem nem me despedacem, sem que ninguém me livre.

3 Senhor meu Deus, se assim procedi, se nas minhas mãos há injustiça.

4 Se fiz algum mal a um amigo ou se poupei sem motivo o meu adversário.

5 Persiga-me o meu inimigo até me alcançar, no chão me pisoteie e aniquile a minha vida, lançando a minha honra no pó.

6 Levanta-te, Senhor, na tua ira; ergue-te contra o furor dos meus adversários. Desperta-te, meu Deus! Ordena a justiça!

7 Reúnam-se os povos ao teu redor. Das alturas reina sobre eles.

8 O Senhor é quem julga os povos. Julga-me, Senhor, conforme a minha justiça, conforme a minha integridade.

9 Deus justo, que sondas as mentes e os corações, dá fim à maldade dos ímpios e ao justo dá segurança.

10 O meu escudo está nas mãos de Deus, que salva o reto de coração.

11 Deus é um juiz justo, um Deus que manifesta cada dia o seu furor.

12 Se o homem não se arrepende, Deus afia a sua espada, arma o seu arco e o aponta.

13 Prepara as suas armas mortais e faz de suas setas flechas flamejantes.

14 Quem gera a maldade, concebe sofrimento e dá à luz a desilusão.

15 Quem cava um buraco e o aprofunda cairá nessa armadilha que fez.

16 Sua maldade se voltará contra ele; sua violência cairá sobre a sua própria cabeça.

17 Darei graças ao Senhor por sua justiça; Ao nome do Senhor Altíssimo cantarei louvores.

Salmos 7:1-17

Salmo 6

1 Senhor, não me castigues na tua ira nem me disciplines no teu furor.

2 Misericórdia, Senhor, pois vou desfalecendo! Cura-me, Senhor, pois os meus ossos tremem:

3 Todo o meu ser estremece. Até quando, Senhor, até quando?

4 Volta-te, Senhor, e livra-me; salva-me por causa do teu amor leal.

5 Quem morreu não se lembra de ti. Entre os mortos, quem te louvará?

6 Estou exausto de tanto gemer. De tanto chorar inundo de noite a minha cama; de lágrimas encharco o meu leito.

7 Os meus olhos se consomem de tristeza; fraquejam por causa de todos os meus adversários.

8 Afastem-se de mim todos vocês que praticam o mal, porque o Senhor ouviu o meu choro.

9 O Senhor ouviu a minha súplica; o Senhor aceitou a minha oração.

10 Serão humilhados e aterrorizados todos os meus inimigos; frustrados, recuarão de repente.

Salmos 6:1-10

Salmo 5

1 Escuta, Senhor, as minhas palavras, considera o meu gemer.

2 Atenta para o meu grito de socorro, meu Rei e meu Deus, pois é a ti que imploro.

3 De manhã ouves, Senhor, o meu clamor; de manhã te apresento a minha oração e aguardo com esperança.

4 Tu não és um Deus que tenha prazer na injustiça; contigo o mal não pode habitar.

5 Os arrogantes não são aceitos na tua presença; odeias todos os que praticam o mal.

6 Destróis os mentirosos; os assassinos e os traiçoeiros o Senhor detesta.

7 Eu, porém, pelo teu grande amor, entrarei em tua casa; com temor me inclinarei para o teu santo templo.

8 Conduze-me, Senhor, na tua justiça, por causa dos meus inimigos; aplaina o teu caminho diante de mim.

9 Nos lábios deles não há palavra confiável; suas mentes só tramam destruição. Suas gargantas são um túmulo aberto; com suas línguas enganam sutilmente.

10 Condena-os, ó Deus! Caiam eles por suas próprias maquinações. Expulsa-os por causa dos seus muitos crimes, pois se rebelaram contra ti.

11 Alegrem-se, porém, todos os que se refugiam em ti; cantem sempre de alegria! Estende sobre eles a tua proteção. Em ti exultem os que amam o teu nome.

12 Pois tu, Senhor, abençoas o justo; o teu favor o protege como um escudo.

Salmos 5:1-12

Salmo 4

1 Responde-me quando clamo, ó Deus que me faz justiça! Dá-me alívio da minha angústia; Tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.

2 Até quando vocês, ó poderosos, ultrajarão a minha honra? Até quando estarão amando ilusões e buscando mentiras?

3 Saibam que o Senhor escolheu o piedoso; o Senhor ouvirá quando eu o invocar.

4 Quando vocês ficarem irados, não pequem; ao deitar-se reflitam nisso, e aquietem-se.

5 Ofereçam sacrifícios como Deus exige e confiem no Senhor.

6 Muitos perguntam: “Quem nos fará desfrutar o bem? ” Faze, ó Senhor, resplandecer sobre nós a luz do teu rosto!

7 Encheste o meu coração de alegria, alegria maior do que a daqueles que têm fartura de trigo e de vinho.

8 Em paz me deito e logo adormeço, pois só tu, Senhor, me fazes viver em segurança.

Salmos 4:1-8

Salmo 3

1 Senhor, muitos são os meus adversários! Muitos se rebelam contra mim!

2 São muitos os que dizem a meu respeito: “Deus nunca o salvará! ”

3 Mas tu, Senhor, és o escudo que me protege; és a minha glória e me fazes andar de cabeça erguida.

4 Ao Senhor clamo em alta voz, e do seu santo monte ele me responde.

5 Eu me deito e durmo, e torno a acordar, porque é o Senhor que me sustém.

6 Não me assustam os milhares que me cercam.

7 Levanta-te, Senhor! Salva-me, Deus meu! Quebra o queixo de todos os meus inimigos; arrebenta os dentes dos ímpios.

8 Do Senhor vem o livramento. A tua bênção está sobre o teu povo.

Salmos 3:1-8

Salmo 2

1 Por que se amotinam as nações e os povos tramam em vão?

2 Os reis da terra tomam posição e os governantes conspiram unidos contra o Senhor e contra o seu ungido, e dizem:

3 “Façamos em pedaços as suas correntes, lancemos de nós as suas algemas! ”

4 Do seu trono nos céus o Senhor põe-se a rir e caçoa deles.

5 Em sua ira os repreende e em seu furor os aterroriza, dizendo:

6 “Eu mesmo estabeleci o meu rei em Sião, no meu santo monte”.

7 Proclamarei o decreto do Senhor: Ele me disse: “Tu és meu filho; eu hoje te gerei.

8 Pede-me, e te darei as nações como herança e os confins da terra como tua propriedade.

9 Tu as quebrarás com vara de ferro e as despedaçarás como a um vaso de barro”.

10 Por isso, ó reis, sejam prudentes; aceitem a advertência, autoridades da terra.

11 Adorem ao Senhor com temor; exultem com tremor.

12 Beijem o filho, para que ele não se ire e vocês não sejam destruídos de repente, pois num instante acende-se a sua ira. Como são felizes todos os que nele se refugiam!

Salmos 2:1-12

Salmo 1

1 Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios, não imita a conduta dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores!

2 Ao contrário, sua satisfação está na lei do Senhor, e nessa lei medita dia e noite.

3 É como árvore plantada à beira de águas correntes: Dá fruto no tempo certo e suas folhas não murcham. Tudo o que ele faz prospera!

4 Não é o caso dos ímpios! São como palha que o vento leva.

5 Por isso os ímpios não resistirão no julgamento, nem os pecadores na comunidade dos justos.

6 Pois o Senhor aprova o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios leva à destruição!

Salmos 1:1-6